Síndrome de Asperger

Diferente das demais, esta já se encontra registrada na Classificação Internacional de Doenças (CID) como uma forma de autismo. Os dados referentes à prevalência não são precisos, mas estima-se que é de dois a quatro em 10.000 crianças, com frequência de nove meninos para cada menina. Embora a origem do transtorno seja desconhecida, sabe-se que há influência da carga genética, já que os riscos de recorrência entre familiares variam entre 2 a 15%. Os sintomas normalmente começam a aparecer antes dos 3 anos e tornam-se mais evidentes na fase escolar.

São eles: mudanças de comportamento (com crises de agressividade e apego excessivo a rotinas), alterações de linguagem e problemas na comunicação. Diferente de quadros tradicionais de autismo, porém, os portadores de Asperger apresentam inteligência normal e são mais autônomos. Por conta disso, as pessoas que convivem com ele costumam confundir os sinais da doença com antipatia.

Enviado por: Simone Gonçalves.
Fonte: Revista Viva Saúde/Junho/2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *