Pinguim Imperador

Capaz de suportar temperaturas rigorosas tão baixas como os incríveis – 60 ºC, o pinguim-imperador passa toda a sua vida na zona mais fria da Terra. É também a única ave a pôr o seu ovo em gelo. O maior de todos os pinguins passa a maior parte do seu tempo dentro d’água. O imperador vem a terra para acasalar, formando grandes colônias de procriação compostas por 40 mil aves. De forma pouco habitual, é o macho que incuba o ovo, enquanto a fêmea regressa ao mar.

Os pinguins-imperadores mantêm-se juntos para minimizar a perda de calor. 

  • Ordem: Sphenisciformes  
  • Família: spheniscidae
  • Gênero: Aptenodytes      
  • Espécie: Aptenodytes Forsteri

O Pinguim-Imperador vive nas geladas regiões costeiras da Antártica. As maiores colônias estão situadas em torno do Mar de ross. Também podem ser encontrados em costas de ilhas vizinhas.

Localização: mares e oceanos Regiões polares

Espécies Próximas.
Há 17 espécies de pinguim e o parente mais próximo do imperador é o pinguim-rei (Aptenodytes patagonicus), que é quase tão alto como o imperador, mas pesa apenas metade. O pinguim-de-testa-amarela (Eudyptes Crysolophus), identificado pela conspícua crista de plumas douradas na sua cabeça, partilha com o imperador o ambiente, apesar de estar a uma latitude mais a norte, e ser muito mais pequeno.

O bico preto tem uma lista amarelo-alaranjada.
Uma espessa camada de penas rígidas, curtas e em forma de lança, e uma plumagem externa à prova de água oferecem proteção do frio. As asas em forma de remo propelem o pinguim pela água a velocidades que atingem 15 Km/h.

Conforto Quente.
O pinguim-imperador dispõe de uma camada de gordura de 3 a 4 cm de espessura e de uma plumagem densa e isolante, que o protege das condições frígidas da sua casa.

Mito ou Fato.
Os cientistas afirmam que não há qualquer verdade na crença de que os pinguins caem de costas quando veêm os aviões a passar-lhes por cima. Os investigadores na Antártica acreditam que os ruidosos aviões que realizam vôos baixos podem, no entanto, perturbar os pinguins em procriação.
Pequenos pés unidos por uma membrana natatória são usados como lemes na água, mas como estão na parte posterior do corpo, o pinguim só consegue andar em um estranho cambalear.

Enviado e adaptado por: Regina Costa.
Fonte: O Fascinante Mundo Animal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *