O Aparecimento da Gagueira

Não sabemos quais são as causas da gagueira, mas podemos dizer que, quanto mais cedo a família procurar o tratamento adequado, melhores serão os resultados.

Que tipo de ajuda os pais podem procurar?
O médico pediatra, por ser o primeiro profissional a ter contato direto com a criança, poderá orientar os pais a procurarem um fonoaudiólogo. É ele quem vai avaliar a comunicação e estabelecer um plano de terapia adequado. Caso a criança seja muito pequena, são os pais que devem receber a orientação de um profissional especializado e, assim, efetuar mudanças no comportamento verbal que possibilitem a melhoria das condições da fala. Se deixarem o tempo passar o que era simples, poderá se transformar em gagueira, propriamente dita. Uma vez instalada, a gagueira tende a se auto perpetuar.

Dicas que podem auxiliar os pais:

  • Observar atentamente a mudança no ritmo da fala da criança. Ao verificar qualquer hesitação, evite interromper a fala e tente encorajar a criança.
  • Falar devagar e com voz tranquila ajuda a diminuir a ansiedade.

Uma vez instalada a gagueira tende a se auto perpetuar e a se agravar com o tempo. Começa então a mudança no comportamento verbal da pessoa. As repetições, que até então eram simples, podem tornar-se crescentes e complexas, chegando mesmo a bloqueios verbais.

Não encontramos em momento algum duas gagueiras exatamente iguais. E, de acordo com a ocasião, fatores psicológicos podem agravá-la ou abrandá-la. É importante que a pessoa aprenda a lidar com essa flutuação e junto com seu fonoaudiólogo, analisar que fatores podem estar interferindo no seu comportamento verbal.

O temor para falar pode tomar conta da pessoa e quando ela observa que está gaguejando muito em uma palavra ou mais, ou mesmo em um som, começa a acreditar que jamais conseguirá dizê-los. Esse é um dos casos em que a terapia fonoaudiológica associada à psicoterapia poderão obter melhores resultados.

Por: Maria Tereza Ribeiro Martins – Psicóloga e Dinara Graneto – Fonoaudióloga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *