Literatura Brasileira – Barroco (1601-1768)

Num cenário em que se tenta fundir idéias opostas, as obras tratam de amor e sofrimento, vida e morte, religiosidade e erotismo. São frequentes a sátira social e a humanização do sobrenatural. Há convicção de que é preciso aproveitar a vida, porque valores e sentimentos são mutáveis. A maior produção é a de poesia. A prosa se restringe aos sermões, cujo principal autor no Brasil é o orador sacro e missionário jesuíta português Antônio Vieira.


Os textos poéticos têm estilo trabalhado e linguagem culta. São comuns as figuras de linguagem (hipérbole), dualidade (antítese) e ordem inversa (hipérbato). Em geral, aparecem muito vocativos, repetições e frases interrogativas. Desenvolvem-se dois estilos: o cultismo, marcado pela forma rebuscada e pela colocação do conteúdo em segundo plano; e o conceptivo, caracterizado pela exposição de fundamentos da lógica.

Autores e obras

Gregóriio de Matos
(Bahia, 1636 – Recide, 1696). Filho de família abastada, estudou com os jesuítas em Salvador. Aos 14 anos, foi estudar em Portugal, formando-se em Direito na Universidade de Coimbra. Casou-se, tornou-se juiz, morou na metrópole até 1681. Viúvo, voltou ao Brasil. Em Salvador, sobreviveu precariamente: advogado ser recursos, boêmio inveterado, satírico arrasador. Exilado em Angola, voltou ao Brasil em 1695, para o Recife. Morreu no ano seguinte. Durante sua vida, sua obra permaneceu inédita.

Características:

  • A primeira grande voz da poesia brasileira.
  • Obra poética de múltiplas faces: lírica, satírica, filosófica, religiosa, pornográfica, encomiástica (elogiosa).
  • Influenciado pela tradição portuguesa e espanhola e, ao mesmo tempo, inventivo e original.
  • Introdutor da linguagem coloquial, popular, “mestiça”, das ruas, na poesia brasileira.
  • Poeta maldito – conhecido como “Boca do Inferno”, o maior satírico da literatura brasileira.

Padre Antônio Vieira
(Lisboa, 1608 – Maranhão, 1697). Menino, veio com os pais para a Bahia. Estudou no Colégio dos Jesuítas, ordenando-se em 1634. Com a restauração portuguesa, após 60 anos de domínio espanhol, mudou-se para Portugal. Duas idéias messiânicas, impregnadas de sebastianismo, sobre um Império Português e católico – o 5º Império – de ascendência sobre o mundo entraram em choque com a realidade da corte lusitana e o momento histórico de Portugal, que caminhava para a decadência.
Vieira também entrou em choque com a Inquisição por causa dos cristãos-novos (judeus convertidos ao cristianismo); ficou preso por dois anos e foi-lhe cassado o direito de pregar. Voltou ao Brasil, para o Maranhão, e entrou em choque com os colonos por fazer defesa dos nativos e também dos escravos negros. Morreu aos 89 anos.

Características:

  • Pertence à literatura brasileira e portuguesa.
  • O maior orador do Barroco, no Brasil e em Portugal, o maior da língua portuguesa e um dos maiores da cultura ocidental.
  • A mais alta expressão da prosa conceptista em nossa literatura.
  • Seus sermões apresentam termos religiosos e também político-sociais.
  • Além de complexos esquemas lógicos, de jogos sutis de raciocínio – típicos do conceptismo -, seus sermões apresentam muitas analogias entre passagens da Bíblia e fatos do cotidiano.

Fonte: T.E.M.A. – Técnicas de Ensino e Metodologias Avançadas. Ensino Fundamental. Médio. Profissionalizante. Ed. Didática Paulista. 2007

Obras:
Sermões – especialmente: Dermão da Sexagésima, Sermão pelo Bom Cucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda; Sermão do Primeiro Domingo da Quaresma; Sermão de Santo Antônio dos Peixes; Sermão do Rosário; Sermão do Mandato.

Outras obras proféticas:
Quinto Império; História do Futuro; Clavis Prophetarum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *