História das Máscaras Venezianas

As máscaras são tão antigas quanto a população humana. Tem-se conhecimento que a primeira máscara remonta por volta de 30.000 A.C.
Funções mágicas: podem ser místicas, de cultos, crenças, raças e rituais. A máscara tem o misticismo de dar vazão a alegria, tristeza, revelar ou ocultar sentimentos. No Antigo Egito, eram colocadas nos rostos dos mortos para “ajudá-los na arriscada passagem à vida eterna”. Gregos e Romanos exibiam máscaras em cerimônias religiosas e na China eram usadas para afastar maus espíritos.

Os indígenas as usavam para incorporar entidades que curam, em cerimônias de casamento e danças de guerra. Na Itália ganharam conotações na “Commedia dell Arte” em personagem como Pierrot, Colombina, Pulcinella e Arlequim. O movimento inspirou o Carnaval de Veneza.
Em Veneza por volta do século XV, acontecia o primeiro “Ball Masquê”, que devido às divergências políticas, o uso da máscara era necessário para a sociedade, que na época estava em constantes conflitos políticos. Dos grandes bailes, teatros e o Carnaval de Rua, as máscaras em Veneza passaram a ser também peças decorativas, sendo uma das principais atividades econômicas e o souvenir característico da região.

Fonte: CD Livro Eletrônico – Ed. Didática Paulista
Coordenado: Sandro da Silva Pinto

8 comentários sobre “História das Máscaras Venezianas

  1. bilu-bilu disse:

    As máscaras do carnaval de Veneza são famosas em todo o mundo pelo detalhamento, pela beleza na elaboração e pela riqueza com que são apresentadas. Inspiram máscaras inclusive aqui no carnaval de Olinda e são uma marca registrada do carnaval italiano. me enteresso muito por este assunto.

  2. Eu gostei muito.Eu me interesso pouco mais mesmo assim concordo qeu as máscaras venezianas são muito bacanas.E este site me ajudou muito a fazer meu trabalho de ARTE.Flw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *