Mãe 300 x 300

Para Sempre – Poesia

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
– mistério profundo –
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Autor: Carlos Drummond de Andrade
Enviado por: Carolina Menezes.

bella-vida-big

Depois dos 40

Depois dos 40 anos, o pensamento feminino muda, desembaraça.

O sexo não é mais performance, exaustão, é fazer o que se gosta e do jeito que gosta. É aproveitar dez minutos com a intensidade de uma noite inteira, é reconhecer o rosto do próprio desejo no primeiro suspiro, é optar pela submissão por puro prazer, sem entrar na neurose da disputa ou do controle.

A mulher de 40 não diminui o ritmo da intimidade. Pode ler um livro com a intensidade de uma transa. Pode assistir um filme com a intensidade de uma transa. Pode conversar com a intensidade de uma transa. Ela não tem um momento para a sensualidade, a sensualidade é todo momento.

Tomar o café da manhã não é apenas um desjejum, tem a sua identidade, o seu ritual, um refinamento da história de seus sabores. Tomar o café da manhã com uma mulher de 40 anos é participar de sua memória, de suas escolhas.

Ela não precisa mais provar nada. Já sofreu separações, e tem consciência de que suporta o sofrimento. Já superou dissidências familiares, e tem consciência de que a oposição é provisória. Já recebeu fora, deu fora, entende que o amor é pontualidade e que não deve decidir pelo outro ou amar pelos dois.

A mulher de 40 anos, cansada das aparências, cometerá excessos perfeitos. É mais louca do que a loucura porque não se recrimina de véspera. É ainda mais sábia do que a sabedoria porque não guarda culpa para o dia seguinte.

A beleza se torna também um estado de espírito, um brilho nos olhos, o temperamento. A beleza é resultado da elegância das ideias, não somente do corpo e dos traços físicos.

Encontrou a suavidade dentro da serenidade. A suavidade que é segurança apaixonada, confiança curiosa.

O riso não é mais bobo, mas atento e misterioso, demonstrando a glória de estar inteira para acolher a alegria improvisada, longe da idealização, dentro das possibilidades.

Não existe roteiro a ser cumprido, mapa de intenções e requisitos.

Há a leveza de não explicar mais a vida. A leveza de perguntar para se descobrir diferente, em vez de questionar para confirmar expectativas.

Ser tia ou mãe, ser solteira ou casada não cria angústia. Os papéis sociais foram queimados com os rascunhos.

A mulher de 40 é a felicidade de não ter sido. É a felicidade daquilo que deixou para trás, daquilo que negou, daquilo que viu que era dispensável, daquilo que percebeu que não trazia esperança.

Seu charme vai decorrer mais da sensibilidade do que de suas roupas. O que ilumina sua pele é o amor a si, sua educação, sua expressividade ao falar.

A beleza está acrescida de caráter. Do destemor que enfrenta os problemas, da facilidade que sai da crise.

A beleza é vaidosa da linguagem, do bom humor. A beleza é vaidosa da inteligência, da gentileza.

Depois dos 40 anos não há depois, é tudo agora.

Autor: Fabrício Carpinejar
Fonte: Zero Hora/Fevereiro/2014.

ouça coração

Ouça o seu Coração

Os homens têm medo de realizar seus maiores sonhos porque acham que não o merecem, ou não vão conseguir!

Mas o medo não é uma coisa concreta. Ele está em seus corações!!

Os corações morrem de medo só de pensar em amores que partiram para sempre… Em momentos que poderiam ter sido bons e não foram…

Quando isso acontece, acabamos sofrendo muito e o coração tem medo de sofrer.

Mas o medo é pior que o próprio sofrimento.

Nenhum coração jamais sofreu quando foi em busca de seus sonhos, porque cada momento de busca é um momento de vida, de energia, de encontro com Deus e com a eternidade.

Então… Ouça seu coração!

Ninguém consegue fugir dele.

Por isso, é melhor escutar o que ele fala para que não venha um golpe que você não espera, porque você jamais vai conseguir mantê-lo calado.

Mesmo que finja não escutar o que ele diz, ele estará dentro do seu peito, repetindo o que pensa sobre a vida e o mundo…

O dia inteiro…

O tempo todo…

Ainda bem!

Por isso, ouça o seu coração!

Autor: Paulo Coelho.
Enviado por: Úrsula Medina.

Flor de Natal 300 x 300

Poinsettia – A Flor do Natal – Lenda

Euphorbia Pulcherrima.
Uma lenda conta que Pepita, uma pobre menina mexicana, nada possuía para presentear o menino Jesus naquela noite de natal.

Enquanto caminhava em direção à capela, juntamente com seu primo Pedro, seu coração estava mais cheio de tristeza do que de alegria.

Para consolá-la, Pedro teria dito: “Eu tenho certeza, Pepita, que mesmo o mais humilde presente, se for dado com amor verdadeiro, será valioso diante dos olhos de Jesus”.

Não sabendo exatamente o que fazer, Pepita dirigiu-se à beira da estrada e foi colhendo ramos de folhagens comuns e arrumando-as na forma de um ramalhete.

Ao olhar aquele amontoado de mato que iria levar como presente ao menino Jesus, sentiu-se ainda mais triste.

Enxugou as lágrimas ao entrar na capela do pequeno vilarejo. Ao se aproximar do altar, lembrou-se das palavras do seu primo Pedro e encheu seu espírito de amor, ao colocar os ramos ao pé do presépio.

De repente, as folhagens verdes foram se transformando em flores de coloração vermelho brilhante e todos que ali estavam tiveram a certeza de estar assistindo a um milagre diante de seus olhos.

A partir daquele dia, aquelas flores vermelhas ficaram conhecidas como Flores de Noche Buena, e florescem a cada ano durante a época de Natal.

Outra versão desta lenda diz que as flores brotaram do chão.

Enviado por: Celina Fraga.
Fonte: SOS Dona De Casa Zona Sul/Dezembro/2013.

Mulheres que Amam de Menos. 300 x 300

Mulheres que Amam de Menos…

Eu quero dar meu depoimento. Creio ter um problema. Se mulheres que amam demais são aquelas que sufocam seus parceiros, que não confiam neles, que investigam cada passo que eles dão e que não conseguem pensar em mais nada a não ser em fantasiosas traições, então eu preciso admitir: sou uma mulher que ama de menos.

  • Eu nunca abri a caixa de mensagens do celular do meu marido.
  • Eu nunca abri um papel que estivesse em sua carteira.
  • Eu nunca fico irritada se uma colega de trabalho telefona pra ele.
  • Eu não escuto a conversa dele na extensão.
  • Eu não controlo o tanque de gasolina do carro dele para saber se ele andou muito ou pouco.
  • Eu não me importo quando ele acha outra mulher bonita, desde que ela seja realmente bonita. Se não for, é porque ele tem mau gosto
  • Eu não me sinto insegura se ele não me faz declarações de amor a toda hora.
  • Eu não azucrino a vida dele.

Segundo o que tenho visto por aí, meu diagnóstico é lamentável: eu o amo pouco. Será?
Obsessão e descontrole são doenças sérias e merecem respeito e tratamento, mas batizar isso de “amar demais” é uma romantização e um desserviço às mulheres e aos homens. Fica implícito que amar tem medida, que amar tem limite, quando na verdade amar nunca é demais. O que existe são mulheres e homens que têm baixa auto-estima, que tem níveis exagerados de insegurança e que não sabem a diferença entre amor e possessão. E tem aqueles que são apenas ciumentos e desconfiados, tornando-se chatos demais.

Mas se todo mundo concorda que uma patologia pode ser batizada de “amor demais”, então eu vou fundar As Mulheres que Amam De Menos, porque, pelo visto, quem é calma, quem não invade a privacidade do outro e quem confia na pessoa que escolheu pra viver também está doente.

Autora: Martha Medeiros
Enviado por: Cristiane Monteiro.

1

Não é Soberbo

Senhor, não é soberbo meu coração, nem altivo o meu olhar, não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. (Sl 131.1).

Senhor, não é soberbo meu coração, nem altivo o meu olhar,
não ando à procura de grandes coisas…
Dentre todas as coisas que se encontram na terra,
Por cuja causa até se faz guerra:
Poder, fama, riquezas, e tudo o que isso encerra,
Nada se compara com o Eterno.
O terno e bom e justo caráter de Deus.
Seu propósito e querer para os filhos seus
A paz, a alegria e o amor que dele amanam
Ele deixa isto fluir dos corações dos que o amam,
E sua face buscam e o adoram.
Corações contritos, humildes, arrependidos
Que, ao tocarem o coração do Pai celestial,
Tornam-se cheios, e transbordam de maneira tal,
Desse amor e  dos eternos valores,
Que o mundo, com seus atrativos e clamores,
Perde todo o brilho que atrai,
E, em ferrugem cai,
Aos pés de quem se deu ao Senhor,
De quem ele se entrega para eterno louvor.
Longe da dor e da frustração,
E se alegra em Deus, de todo o coração.

Davi tinha tudo para se encher de vaidade e orgulho. Era o rei de Israel. Compunha lindas canções que, de tão populares e inspiradas, atravessaram os séculos. Hoje, no mundo inteiro, o salmo do rei pastor é declamado nos palcos, nos sermões, diante de leitores e túmulos. Sua coragem é modelo para generais e exércitos inteiros. Mas Davi não estava à procura de “grandes coisas”. Ele queria o essencial: sua alma sossegada no regaço do supremo Deus. Queria a paz e a salvação; dádivas tão preciosas e que muito trocam pelos prazeres efêmeros da vida.

Pai celeste, como é bom aquietar o coração em teus fortes braços! Não há lugar mais seguro e mais feliz do que o centro da tua vontade. Glória a ti!

Autora: Ângela Valadão Cintra.
Fonte: Livro: Dia a dia – Meditações para uma vida com Deus.

Atitude 300 x 300

O Nobre e o Granjeiro – Reflexão

Era uma vez um granjeiro escocês muito pobre que se chamava Fleming. Certo dia, quando estava trabalhando na lavoura, ouviu gritos que vinham de um pântano ali perto, largou tudo e correu para o pântano. Encontrou um rapaz enterrado num charco, lutando desesperadamente para năo afundar. O granjeiro conseguiu pegar a mão do rapaz, salvando-o assim, do que poderia ter sido uma morte lenta e dolorosa.

No dia seguinte, parou na porta da pequena casa do granjeiro uma carruagem, de onde saiu um homem, elegantemente vestido que se apresentou como o pai do rapaz que havia sido salvo.

– Quero recompensá-lo, disse o nobre. O senhor salvou a vida do meu filho.

– Năo, năo posso aceitar pagamento pelo que fiz, discordou o escocês.

Neste momento o filho do granjeiro veio até a porta da casa e o nobre perguntou:

– É seu filho?

– Sim, disse o granjeiro orgulhosamente.

– Então lhe proponho um trato. Permita-me proporcionar a seu filho o mesmo nível de educaçăo do qual desfrutará o meu próprio filho. Se o rapaz se parecer com o pai, não tenho dúvidas de que crescerá e se tornará um homem do qual nos orgulharemos muito.

O granjeiro aceitou.

Fleming frequentou as melhores escolas e se graduou na Saint Mary’s Hospital Medical School, em Londres. Nas suas pesquisas, em 1928, descobriu a Penicilina. Foi professor da St. Mary’s Medicine School de 1928-1948, sendo reconhecido como Professor Emérito da Instituição. Tornou-se Sir Alexander Fleming (1881-1955), bacteriologista escocês e vencedor do prêmio Nobel de 1945, em fisiologia e medicina.

Anos depois, o filho do mesmo nobre esteve doente, com pneumonia, e o que salvou sua vida foi a Penicilina.

O nome do nobre senhor, era Lord Randolph Churchill e seu filho, salvo pelo granjeiro Fleming, se chamava Sir Winston Churchill, primeiro-ministro do Reino Unido e maior líder britânico do século XX.

“As atitudes săo muito mais importantes do que os fatos”.

Alexander Fleming.

Enviado por: Amélia Zack.

Pessoa errada 300x300

A Pessoa Errada

Pensando bem
Em tudo o que a gente vê, e vivência
E ouve e pensa
Não existe uma pessoa certa pra gente
Existe uma pessoa
Que se você for parar pra pensar
É, na verdade, a pessoa errada.
Porque a pessoa certa
Faz tudo certinho
Chega na hora certa,
Fala as coisas certas,
Faz as coisas certas,
Mas nem sempre a gente tá precisando
das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça
Fazer loucuras
Perder a hora
Morrer de amor
A pessoa errada vai ficar um dia
sem te procurar
Que é pra na hora que vocês se encontrarem
A entrega ser muito mais verdadeira
A pessoa errada, é na verdade,
aquilo que a gente chama
de pessoa certa
Essa pessoa vai te fazer chorar
Mas uma hora depois vai estar enxugando
suas lágrimas
Essa pessoa vai tirar seu sono
Mas vai te dar em troca uma noite de amor inesquecível
Essa pessoa talvez te magoe
E depois te enche de mimos pedindo seu perdão
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo
ao seu lado
Mas vai estar 100% da vida dela esperando você
Vai estar o tempo todo pensando em você.
A pessoa errada
tem que aparecer pra todo mundo
Porque a vida não é certa
Nada aqui é certo
O que é certo mesmo, é que temos que viver
Cada momento
Cada segundo
Amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo,
querendo,conseguindo
E só assim
É possível chegar àquele momento do dia
Em que a gente diz:
“Graças à Deus deu tudo certo”
Quando na verdade
Tudo o que ele quer
É que a gente encontre a pessoa errada
Pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra gente.

Autor: Luis Fernando Veríssimo.
Enviado por: Alexandra Casanova.

Clarice Lispector

Precisa-se….

Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito:

Precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la.

Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria.

É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram;

Precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais.

Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere.

Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama.

Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo.

Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos.

Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar.

P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros.

Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.

Autora: Clarice Lispector.
Enviado por: Gabriela Bitencourt.

tempo-certo 300 x 300

Tempo Certo – Reflexão

De uma coisa podemos ter certeza:

De nada adianta querer apressar as coisas;

Tudo vem ao seu tempo;

Dentro do prazo que lhe foi previsto.

Mas a natureza humana não é muito paciente.

Temos pressa em tudo e aí acontecem os atropelos do destino, aquela situação que você mesmo provoca, por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer:

Qual é esse tempo certo?

Bom, basta observar os sinais.

Quando alguma coisa está para acontecer ou chegar até sua vida, pequenas manifestações do cotidiano enviarão sinais indicando o caminho certo.

Pode ser a palavra de um amigo, um texto lido, uma observação qualquer.

Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará de colocar você no lugar certo, na hora certa, no momento certo, diante da situação ou da pessoa certa.

Basta você acreditar que nada acontece por acaso.Talvez seja por isso que você esteja agora lendo estas linhas.

Tente observar melhor o que está a sua volta.

Com certeza alguns desses sinais já estão por perto e você nem os notou ainda.

Lembre-se, que o universo sempre conspira a seu favor quando você possui um objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento.

Autor: Paulo Coelho
Enviado por: Luiza Lopes.

universo-natural-atendimento-paciencia 300 x 300

Paciência – Reflexão

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados…

Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a madame que parece uma “lady” solta palavrões e berros que lembram as antigas “trabalhadoras do cais”…

E o bem comportado executivo?

O “cavalheiro” se transforma numa “besta selvagem” no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar…

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma “mala sem alça”.

Aquela velha amiga uma “alça sem mala”, o emprego uma tortura, a escola uma chatice.

O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.

Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado…

Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.

Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.

A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.

Pergunte para alguém, que você saiba que é “ansioso demais” onde ele quer chegar?

Qual é a finalidade de sua vida?

Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.

E você? Onde você quer chegar? Está correndo tanto para quê? Por quem? Seu coração vai aguentar? Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar? Será que você conseguiu ler até aqui?

Respire… Acalme-se…

O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência…

NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL…  

SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA… 

Autor: Paulo Roberto Gaefke
Enviado por: Samara Dias.

A cor do mundo 300 x 300

A Cor do Mundo

O ancião descansava, sentado em velho banco à sombra de uma árvore, quando foi abordado pelo motorista de um automóvel que estacionou a seu lado:

Bom dia!
Bom dia! Respondeu o ancião.
O senhor mora aqui?
Sim, há muitos anos…
Venho de mudança e gostaria de saber como é o povo daqui. Como o senhor vive aqui há tanto tempo deve conhecê-lo muito bem.
É verdade, falou o ancião. Mas, por favor, me fale antes da cidade de onde vem.
Ah! É ótima. Maravilhosa! Gente boa, fraterna… Fiz lá muitos amigos. Só a deixei por imperativos da profissão.
Pois bem, meu filho. Esta cidade é exatamente igual. Vai gostar daqui.
O forasteiro agradeceu e partiu.

Minutos depois apareceu outro motorista e também se dirigiu ao ancião:
Estou chegando para morar aqui. O que me diz do lugar?
O ancião, lançou-lhe a mesma pergunta:
Como é a cidade de onde vem?
Horrível! Povo orgulhoso, cheio de preconceitos, arrogante! Não fiz um único amigo naquele lugar horroroso!
Sinto muito, meu filho, pois aqui você encontrará o mesmo ambiente…

Todos vemos no mundo e nas pessoas algo do que somos, do que pensamos, de nossa maneira de ser.
Se somos nervosos, agressivos ou pessimistas, veremos tudo pela ótica de nossas tendências, imaginando conviver com gente assim.

Em outras palavras, o mundo tem a cor que lhe damos através das nossas lentes.

Enviado por: Andressa Barros.
Fonte: SOS Dona De Casa Zona Norte/Outubro/2013.

Dia Feliz 300 x 300

Não Existe Dia Ruim! Reflexão

Não existe dia ruim. Sempre há chance do dia ser feliz. Mesmo que seja tarde. Mesmo que seja de madrugada. Uma gentileza salva o dia. Um bife milanesa salva o dia. Uma gola branca e engomada salva o dia. Uma emoção involuntária salva o dia.

Nunca o dia está inteiramente perdido. Não devemos acreditar que uma tristeza chama a outra, que se algo acontece de errado tudo então vai dar errado. Lei de Murphy não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.

Confio no improviso, na casualidade, no movimento das cortinas na janela.

Até o último minuto antes da meia-noite, você pode resgatar o contentamento. É uma gargalhada do filho diante da papinha, transformando a cadeira num imenso prato. É algum amigo telefonando para confessar saudade. É sua mulher procurando beijar a orelha mandando sinais de seu desejo. É o barulho da chuva na calha, é o estardalhaço do sol na varanda. É encontrar – iniciando na tevê – um filme que adora e já assistiu cinco vezes. É oferecer colo ao seu gato. É planejar uma viagem de férias. É terminar um livro que abandonou pela metade. É ouvir sua coleção de LPs da adolescência. É comprar uma calça jeans em promoção. É adormecer no sofá e receber a coberta silenciosa de sua companhia. É a possibilidade feminina de passar um batom e pintar as unhas. É possibilidade masculina de devolver a bola quando ela sobe a cerca num jogo de crianças

A felicidade é pobre. A felicidade precisa de apenas um abraço bem feito.

Sigo esperançoso. Não coleciono tragédias. Sofro e apago. Sofro e mudo de assunto, abro espaço para palavras novas, para lembranças novas.

Vejo o esforço da abelha tentando sair do vidro, e não sou melhor do que ela. Vejo o esforço da formiga carregando uma casca de laranja, e não sou melhor do que ela. Viver é esforço e nos traz a paz de sonhar – querer não fazer nada é que cansa.

Não existe dia que não ganhe conserto. Não existe dia morto, dia de todo inútil.

Não desista da alegria somente porque ela se atrasou. Pode ter recebido esporro do chefe, ainda assim a hora está aberta. Comer um picolé de limão é capaz de restituir sua infância.

Não encerre o expediente com o escuro do céu. Pode não ter grana para pagar as contas e ter que escolher o que é menos importante para adiar, ainda assim é possível se divertir com o cachorro carregando seu chinelo para o quarto.

Quando acordo com o pé esquerdo, sou canhoto. Não existe dia derrotado.

Autor: Fabrício Carpinejar.
Enviado por: Bárbara Castro.
Fonte: Donna- Zero Hora/03.11.2013.

formiga carregando folha 300 x 300

Uma Formiga me Levou a Orar – Reflexão

Uma pequena formiga carregava uma enorme folha, com sacrifício. Quando o vento batia a folha tombava fazendo cair a formiga. Mas nem assim ela desanimou. Observei até que ela chegou próximo a um buraco. Foi quando pensei: até que enfim ela terminou sua tarefa: ilusão minha. A folha era muito maior que a boca do buraco, o que fez com que ela a deixasse do lado de fora, para entrar sozinha.

Daí lembrei do ditado popular: nadou, nadou e morreu na praia, mas a formiga me surpreendeu. Do buraco saíram outras formigas, que cortaram a folha em pedaços, e logo estavam dentro do buraco. De imediato pensei em minhas experiências. Quantas vezes desisti diante de muitas dificuldades? Invejei a persistência e a força daquela formiga e transformei minha reflexão em oração e pedi a Deus que me desse a persistência e a inteligência da formiga, para não desistir diante das quedas.

Que eu tivesse a inteligência e a humildade para dividir o fardo que as vezes é grande demais para nós. Pedi a Deus a força de não desistir de minha caminhada, mesmo quando os ventos me fazem virar de cabeça para baixo. Pensei na alegria dos filhotes que esperavam pelo alimento, fez aquela formiga esquecer das adversidades da estrada. Após meu encontro com aquela formiga saí mais fortalecido em minha caminhada, agradeci a Deus por ter colocado aquela formiga em meu caminho ou por ter me feito passar pelo caminho dela.

Albino Monteiro de Souza.

Enviado por: Ivana Helmuth.
Fonte: Tudo Perto Zona Norte/Outubro/2013.

caminhos 300 x 300

Uma Questão de Escolha

O coração anda no compasso que pode. Amores não sabem esperar o dia amanhecer. O exemplo é simples. O filho que chora tem a certeza de que a mãe velará seu sono. A vida é pequena, mas tão grande nestes espaços que aos cuidados pertencem. Joelhos esfolados são representações das dores do mundo. A mãe sabe disso. O filho, não. Aprenderá mais tarde, quando pela força do tempo que nos leva, ele precisará cuidar dos joelhos dos seus pequenos. O ciclo da história nos direciona para que não nos percamos das funções. São as regras da vida. E o melhor é obedecê-las.

Tenho pensado muito no valor dos pequenos gestos e suas repercussões. Não há mágica que possa nos salvar do absurdo. O jeito é descobrir esta migalha de vida que sob as realidades insiste em permanecer. São exercícios simples…

Retire a poeira de um móvel e o mundo ficará mais limpo por causa de você. É sensato pensar assim. Destrua o poder de uma calúnia, vedando a boca que tem ânsia de dizer o que a cabeça ainda não sabe, e alguém deixará de sofrer por causa de seu silêncio.

Nestas estradas de tantos rostos desconhecidos é sempre bom que deixemos um espaço reservado para a calma. Preconceitos são filhos de nossos olhares apressados. O melhor é ir devagar.
Que cada um cuide do que vê. Que cada um cuide do que diz. A razão é simples: o Reino de Deus pode começar ou terminar, na palavra que escolhemos dizer.
É simples…

Autor: Padre Fábio de Melo
Enviado por: Marta Almeida.

silencio 300 x 300

A Voz do Silêncio

Pior do que a voz que cala, é um silêncio que fala.
Simples, rápido! E quanta força!
Imediatamente me veio à cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis,
pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.
Um telefone mudo. Um e-mail que não chega.
Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca.
Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas.
Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão.
O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão.
Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim.
É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas
indicam uma tentativa de entendimento.
Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo.
Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados.
Quando nada é dito, nada fica combinado.
Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar:
“Diz alguma coisa, mas não fica aí parado me olhando!”
É o silêncio de um, mandando más notícias para o desespero do outro.
É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo.
Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua,
o silêncio é um bálsamo.
Para a professora de uma creche,
o silêncio é um presente.
Para os seguranças de um show de rock,
o silêncio é um sonho.
Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz.
O único silêncio que perturba, é aquele que fala.
E fala alto.
É quando ninguém bate à nossa porta,
Não há e-mails na caixa de entrada
Não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim,
Você entende a mensagem.

Autora: Marta Medeiros.
Enviado por: Sandra Regina Mollé.

Casamento-feliz-idosos 300 x 300

Um Casamento Duradouro – Reflexão

No casamento, as pequenas coisas são as grandes coisas.
É jamais ser muito velho para dar-se as mãos, diz ele.
É lembrar de dizer “te amo”, pelo menos uma vez ao dia.
É nunca ir dormir zangado. É ter valores e objetivos comuns.
É estar unidos ao enfrentar o mundo.
É formar um círculo de amor que uma toda a família.
É proferir elogios e ter capacidade para perdoar e esquecer.
É proporcionar uma atmosfera onde cada qual possa crescer na busca recíproca do bem e do belo.
É não só casar-se com a pessoa certa, mas ser o companheiro perfeito.
E para ser o companheiro perfeito é preciso ter bom humor e otimismo.
Ser natural e saber agir com tato.
É saber escutar com atenção, sem interromper a cada instante.
É mostrar admiração e confiança, interessando-se pelos problemas e atividades do outro.
Perguntar o que o atormenta, o que o deixa feliz, por que está aborrecido.
É ser discreto, sabendo o momento de deixar o companheiro a sós para que coloque em ordem seus pensamentos.
É distribuir carinho e compreensão, combinando amor e poesia, sem esquecer galanteios e cortesia.
É ter sabedoria para repetir os momentos do namoro.
Aqueles momentos mágicos em que a orquestra do mundo parecia tocar somente para os dois.
É ser o apoio diante dos demais.
É ter cuidado no linguajar, é ser firme, leal.
É ter atenção além do trivial e conseguir descobrir quando um se tiver esmerado na apresentação para o outro.
Um novo corte de cabelo, uma vestimenta diferente, detalhes pequenos mas importantes.
É saber dar atenção para a família do outro pois, ao se unir o casal, as duas famílias formam uma unidade.
É cultivar o desejo constante de superação.
É responder dignamente e de forma justa por todos os atos.
É ser grato por tudo o que um significa na vida do outro.
O amor real, por manter as suas raízes no equilíbrio, vai se firmando dia a dia, através da convivência estreita.
O amor, nascido de uma vivência progressiva e madura, não tende a acabar, mas amplia-se, uma vez que os envolvidos passam a conhecer vícios e virtudes, manias e costumes de um e de outro.
O equilíbrio do amor promove a prática da justiça e da bondade, da cooperação e do senso de dever, da afetividade e advertência amadurecida.

Autor: Desconhecido.
Enviado por: Jane Ramos.

Alegria 300 x300

Viva Apaixonadamente!

É preciso viver apaixonadamente, em qualquer situação, indistintamente.

Seja lá o que for que você faça, empregue toda tua energia e todo teu espírito nesta tarefa. Acredite, se fizeres assim, sentirás prazer até em lavar pratos ou em varrer a calçada, por quê há vida e beleza em tudo, e cada momento é importante, principalmente este que você nem percebe passar e, por favor, largue estes pratos e esta vassoura: há música no ar! Cante, ainda que desafinado, e dance, mesmo sem saber dançar.

Chore todas as lágrimas que tiver e ria até não mais poder. Ame, perdoe, sinta raiva, chute o balde, faça aquilo que você verdadeiramente tem vontade de fazer. Não é convencional? É arriscado? O que as pessoas irão pensar? Afinal, o que você pretende?

Se você pensa que é maravilhosa a rotina de trabalhar, voltar pra casa, assistir tv, dormir e sair com as crianças no final de semana, parabéns. Você é uma pessoa realizada. Mas penso que até fazer sexo, por melhor que seja, acaba ficando apenas razoável em um ritmo destes. E eu quero o melhor do sexo, o melhor do meu trabalho, o melhor da minha família, o melhor da minha vida.

Se você também quer isso, envolva-se de mágica, deixe fluir a energia que existe em você. O universo inteiro está latente dentro de ti e tudo que você precisa fazer é deixar-se explodir. E quantas coisas surgirão, quanto a fazer, quanto a conhecer. Vá, não olhe pra trás. Não pense em nada, apenas confie em você. Você marchará rumo ao infinito e o que você viverá poderá ser bom ou ruim, nunca se sabe, mas sempre será enriquecedor, não duvide disto. E nunca, nunca se deixe vencer pelo medo, siga em frente.

Ninguém conquista um sonho sem persegui-lo, ninguém anda uma milha sem dar o primeiro passo. Se ao fim da estrada alguma sombra de arrependimento te atacar, ainda assim levante a cabeça, orgulhe-se por ter tentado, por ter buscado, por ter empregado todas as tuas forças até o último instante. Tanto pior e sempre pior é arrepender-se daquilo que você não fez.

Autor: Augusto Branco.
Enviado por: Danúbia Telles.

Vagalume 300 x 300

A Lenda do Vaga-lume e da Serpente

Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vaga-lume. Este fugia rápido da feroz predadora, e a serpente não desistia. Primeiro dia, ela o seguia. Segundo dia, ela o seguia.

No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e falou à serpente:
– Posso te fazer três perguntas?
– Não estou acostumada a dar este precedente a ninguém, porém como vou te devorar, podes perguntar, contestou a serpente.

– Pertenço a tua cadeia alimentícia? Perguntou o vaga-lume.
Não, respondeu a serpente.
Eu te fiz algum mal? Diz o vaga-lume.
Não. Respondeu a serpente.
Então por que queres acabar comigo?
Porque não suporto te ver brilhar.

Conclusões:
Muitas vezes nos envolvemos em situações nas quais nos perguntamos:

Por que isso me acontece se não fiz nada de mal, nem causei dano a ninguém?
Certamente a resposta seria: porque não suportam te ver brilhar!

Quando isso acontecer, não deixe ninguém diminuir seu brilho.
Continue sendo você mesmo! Segue fazendo o melhor! Não permita que te lastimem, nem que te retardem. Segue brilhando e não poderão tocar-te. Porque tua luz continuará intacta. Tua essência permanecerá, aconteça o que acontecer. Seja sempre autêntico, embora tua luz incomode os predadores!

Enviado por: Lúcia Helena Gonçalves.
Fonte: Guia Só Aqui/Agosto/2013.

sem-pastor

Multidões Aflitas e Exaustas

Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor (Mt 9.36)

Multidões que caminham pela terra,
Se espalham pelos vales, sobem a serra,
E, errantes, afitas e exaustas,
Caminham, cambaleiam incautas,
Indo direto para a perdição.
Oh, são como  ovelhas que não têm pastor.
Andam errantes, se ferindo em espinhos,
À mercê dos lobos  em seus caminhos,
Sem ver que a fonte está tão perto.
É preciso mostra-lhes o caminho certo,
Para que encontrem nos braços de Jesus
Toda a ternura que seu perdão traduz.
E, de cansadas e angustiadas,
Se tornem felizes e aliviadas.

Após ensinar às multidões muitas coisas sobre o reino de Deus, Jesus as curou de suas enfermidades, as mais variadas. Ouviu-lhes os desabafos, seus questionamentos, suas dúvidas e trouxe-lhes o conforto de sua doce Palavra, cheia de autoridade. E então olhou para o povo e compadeceu-se de todos, pois os via como na profecia: …eram como ovelhas que não têm pastor… aflitas e exaustas…

E é assim que as pessoas estão hoje. Somente ele, Jesus, tem a Palavra, o pão, a cura, a paz, a salvação, as respostas para o coração humano. Conhecê-lo é descansar e experimentar o refrigério para o presente e o futuro.

Pai, eu me chego a ti, pois sei que o teu coração é cheio de compaixão e amor. Quero descansar em ti e nas tuas promessas, que são eternas e maravilhosas. Alimenta-me de ti. Amém.

Fonte: Livro Dia a Dia. Meditações para uma vida com Deus.
Autora: Ângela Valadão Cintra.