Alcoolismo no Brasil

Atualmente o Brasil detém o primeiro lugar do mundo no consumo de destilados alcoolismocachaça. Sabe-se que o álcool é responsável pela maioria dos acidentes de trânsito, porque altera a percepção do espaço, do tempo e a capacidade de enxergar bem.

O que mais assusta é que os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo, justamente na faixa de maior produtividade do indivíduo – entre 25 e 45 anos.

O alcoolismo é uma doença crônica, incurável e progressiva, que mina o organismo, atacando todos os órgãos. Mas o que também é importante: é controlável.

Veja agora alguns de seus efeitos:

  • O álcool interfere no processo de concentração no trabalho.
  • Mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos, comprometendo a capacidade de dirigir veículos, ou operar outras máquinas.
  • O índice de câncer entre os bebedores é alarmante, quer por ação tópica do próprio álcool sobre as mucosas, quer por conta dos aditivos químicos, de ação cancerígena, que entram no processo de fabricação de bebidas.

A quantidade máxima permitida segundo o Código Nacional de Trânsito, é 0,6 gramas de álcool por litro de sangue. Esta concentração é equivalente a beber cerca de 600ml de cerveja (duas latas de cerveja ou três copos de chope), 200ml de vinho (duas taças) ou 80ml de destilados (duas doses).

Fique atento aos “sinais de alerta” para a doença:

  • Beber de manhã.
  • Ficar de “pileque” em toda festa que vai.
  • Colocar o álcool como prioridade nos seus interesses.
  • A percepção dos outros para os excessos (quando começa a implicar com seus “goles”).

O primeiro passo para que esta doença seja controlada, é que o indivíduo que sobre desse problema e sua família saibam que existe tratamento para o alcoolismo. É importante buscar informação e orientação adequada.

Por: Nicole P.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *